Comboio MiraDouro

13:22

Do Porto ao Tua com os olhos para lá da janela, onde tudo é maior, as janelas grandes, vento, vento a bater na cara sem medida, o sol com força e quente. Era mesmo um daqueles dias de Verão de Setembro. O tempo arrastava-se pela paisagem, as carruagens cheiravam a tempo, a antigo. São o que de mais gosto. Gosto de viajar em transportes antigos, acho que já o disse aqui no blogue, as viagens têm sempre um gosto especial. Neste caso são carruagens da década de 40 produzidas pela fabricante suíça Schindler. Agora restauradas e colocadas em circulação pela CP na Linha do Douro. 

A viagem realiza-se todos os dias da semana até ao fim do mês. Uma ideia para terminar o Verão e aproveitar este sol de Setembro, o mais bonito de todos, ideal para viver em família, com muita gente à volta, pois entre conversas, paisagens, janelas grandes, carruagens antigas, há um comboio que nos leva a viajar. 





Confesso que o dia pareceu enorme. Tenho sempre esta sensação quando os dias são bons. Parece que o tempo se arrasta, que não termina. É o segredo dos dias cheios. Saímos cedo do Porto. Apanhámos o MiraDouro em São Bento. Seguimos caminho, ia cheio, com muita vida, muitas famílias, muitos amigos, as crianças brincavam. Quando a paisagem se pôs à vista os olhos colaram-se à janela e a viagem continuou com tempo para conhecer alguns dos apeadeiros mais bonitos, o da Régua e o do Pinhão. No Tua esperáva-nos um almoço óptimo e o dia ainda ia a meio. Faltava regressar com muito tempo de viagem e de paisagem pela janela e com uma hora de passeio pela Régua. 





Alguns turistas, é certo. Mas tantos, tantos portugueses, que dá gosto ver. Que sejamos viajantes no nosso país e que a viagem se repita sempre. Contava-me uma senhora, uma vizinha de carruagem, que apesar de já ter feito esta viagem vezes sem conta, há sempre espaço para mais uma. 







Conheço esta paisagem desde que me lembro, desde que muitas das memórias lhe pertencem. É o tesouro das memórias, pois se eternas se vivem, eternas permanecem. E é, também, assim que vejo o dia passado. Adorámos. O Manel, que nunca tinha feito a Linha do Douro de comboio, adorou. Realmente não há quem não fique preso ao lado de lá da janela e esta foi a melhor maneira do Manel levar este Portugal na bagagem. Vão ser seis meses no Chile e só faltam quatro dias para voar até lá.






You Might Also Like

1 comentários

Subscribe